quinta-feira, 27 de maio de 2010

Não é medo de morrer

Eu não tenho medo da morte, mas ela me assusta muito! Hoje, consigo encarar esse fato de morrer como algo natural, afinal todos passarão por isso, certo?! O que vai acontecer durante ou depois, sinceramente, não faço idéia, quando me convém acredito naquelas teorias que me confortam...

Na verdade, o que me assombra nela é não saber quando irá acontecer, devido a isso, surge o maior medo da minha vida: não conseguir realizar todos os meus sonhos! Sabe, eu temo ferozmente em relação a estar fazendo planos, lutando e me esforçando e não poder colher meus doces frutos.

Eu, como qualquer ser humano que ‘viaja na batatinha’, passo horas pensando se realmente vale a pena não dar uma volta no parque em um lindo dia de sol, ou sentir as ondas do mar, ao invés de ficar com o traseiro colado em uma cadeira – que nem é tão confortável assim – estudando arduamente na esperança de, quem sabe um dia, conquistar o sucesso profissional. E quanto a minha poupança? Será mesmo que virei a usar todo o dinheiro depositado nela? Não compensaria estar investindo em viagens a Paris, por exemplo?!

Sou tão pequena, diante da imensidão dos mistérios que rodeiam minha vida... Às vezes até duvido de mim mesmo. Sério, o que será que me levou a sair do interior, do colo da minha amada e amável família para morar sozinha – conhecer o amargo significado da solidão – na maior cidade do país? Esperança de um amanhã melhor. Sim, eu sei que a resposta é essa, mas e se esse amanhã não vier? Além de perdê-lo, eu perco também o meu presente.

É por isso que a morte me assusta, entenderam agora o nexo de causalidade?

5 comentários:

Sônia Silvino disse...

Olá, grata pela visita!!!
Vim conhecer o teu espaço.
Sobre o medo da morte: sempre ficamos apreensivos com o que desconhecemos. Mas o que não dá para mudar...

"Saber Viver


Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura... Enquanto durar"

Cora Coralina

Bjkas, muitas!!!
Sônia Silvino's Blogs
http://blogsdasoniasilvino.blogspot.com

Igor Flores disse...

Esse é com certeza um dos maiores mistérios de nossa vida!!!
Teu Blog é showwwwwwww!!!
Sempre apareça lá no meu!!!
Um abração..

*Mundo Particular* disse...

olá!! Como estas?
Esse seu post realmente é muito interessante,a morte é a ausência definitiva e, só de pensar assim dá angustia. Sei que um dia cada um de nós já parou e pensou exatamente como vc... SE vale a pena se prender em tantas coisas justamente porque não sabemos o dia de amanhã, mais a vida é assim e temos que viver nessa dúvida torcendo para que ela dure e para que possamos viver intensamente cada minuto dela aqui. Viva e não se arrependa de nada, mais nada mesmo.
Um grande abraço!!

- - Thαiis ઇ‍ઉ disse...

Adorei seu blog esta de parabéns!

maybe disse...

I'm appreciate your writing style.Please keep on working hard.^^