sábado, 22 de novembro de 2008

Borboletinhas

Hoje eu tenho o cuidado de não me apegar tanto às pessoas que eu realmente gosto, porque eu sei que mais cedo ou mais tarde o tempo tirará-las de mim e quando isso acontecer - eu não estarei pronta para suportar - vai doer;
só que agora é tarde demais.
Elas são como borboletas: no começo, estranhas - depois fechadas - e então lindas, passageiras.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Incertezas

Talvez eu perca a cabeça, talvez eu esqueça, talvez eu mude meus planos, talvez eu conquiste um castelo, talvez eu pinte o cabelo, talvez eu não saiba o que fazer, talvez eu passe da conta, talvez eu seja capaz de fazer tudo por você, mas sem te ter, talvez eu não seja!

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Terra chamando!

Vocês já tiveram a experiência de estar concentrados em uma aula de exatas e não mais que de repente o seu coração acelera e um filminho passa pela sua cabeça relembrando alguns momentos da vida e então você desvia totalmente a atenção do professor para um outro alguém?

terça-feira, 28 de outubro de 2008

A lei da vida

Segunda, eu cheguei em casa desesperada com os meus problemas, preocupada com o mundo a minha volta. Almocei correndo e fui dormir um pouco para ver se esquecia, no meio do meu cochilo só haviam pesadelos, resolvi continuar a batalha diária, levantei coloquei uma roupa que amenizava o calor e fui usar a impressora, para piorar, ela estava sem tinta. Olhei daquele jeito que iria destruir qualquer um que entrasse na minha frente. De repente, minha mãe acorda e se dirige até mim, calmamente e com os olhos de conforto diz: "A Bisa faleceu". Sem reação, eu era um ser totalmente forte e com as respostas sempre na ponta da língua, dessa vez, tudo sumiu. E meua problemas já nem eram meus, meu stress deveria ter ido para algum lugar bem distânte. Ela continua: "93 anos, já estava começando a sofrer, foi melhor assim". Pálida, eu pergunto: "E nós, não vamos a São Paulo". Com um ar confuso, minha mãe explica que o enterro já estava acontecendo, a notícia demorou para chegar até nós e agora já não adiantava mais. Meio inconformada, eu apenas coloco as mãos na cabeça e ainda ouço: "Devemos estar com as pessoas quando elas estão vivas, agora já não importa". Então eu me informo sobre os outros familiares, pego o meu material, despeço-me da minha mãe. Olho firme para longe e digo: "Preciso ir, já estou atrasada". E a minha vida continua, só que agora todas as outras coisas que atormentavam o meu dia não tinham mais nenhum significado. A noite, orei por ela e pelos outros. Estava bem. Hoje de manhã, peguei uma mensagem na caixinha da escola que dizia: "Lembre-se: há sempre alguém com problemas maiores que os seus".
Agora sinto SAUDADES, esse é só mais um espaço que estará vago no meu coração, esse vazio me assusta. Porém, já estou mais acostumada, aprendi que há certas coisas na vida que são inevitávei. Só não aceito o NUNCA MAIS, ainda tenho esperanças de reencontrar muita gente que se foi.
E deixo aqui a minha grande admiração por alguém que não foi menos do que guerreira!
Com muito amor e dedicação, amo você.

domingo, 26 de outubro de 2008

Esperança

Sempre esperei muito da vida. Hoje deixo a vida esperando por mim.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Olhos por todos os lados

Eu ando nas ruas com medo. Eu ando assustada. Todos me olham, ao meu redor tudo parece estar investigando os meus passos, uns com olhares maliciosos, outros inocêntes, outros sem saber o que estão olhando. E eu corro, com passos rápidos, olhando pelos vidros das vitrines, dos carros, ou até com olhares 43, preciso ter visão nos meus 360 graus. Preciso ser mais esperta do que quem me cerca. Até agora funcionou.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Pausa para o saco

Agora tudo volta ao normal, ou ao menos eu espero que seja assim. Bem na hora que eu me acostumeia a acordar para almoçar e só ir dormir um pouco antes do sol nascer. Exatamente no momento em que tudo parecia tão feliz, sem compromissos sérios, apenas festas todos os dias e pscina! Amigos que eu descobri ter, e outros que eu achei que tivesse...todos juntos,sorrindo, como se tudo fosse para sempre um conto de crianças. Sapos que viraram principes e depois voltaram a ser sapos. Recordações vieram para serem revividas e muitos planos foram feitos. E não parei de sonhar nem se quer um minuto. De repente, com o novo horário verão, a realidade voltou para mostrar o lado duro de viver.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Linha e agulha


Com uma tesoura pequena de ponta fina
eu vou cortando todos os pontos
que ficaram errados no tecido.
E calmamente, com uma linha de cor diferente
e uma agulha bem melhor,
eu vou costurando um novo caminho,
cuja regras de como traçar, eu determino.

Uma certeza

Agora tudo voltou ao normal. Diante de um desagradável jogo da seleção brasileira, muitas mesas lotadas de amigos, outros nem tanto assim. E bem próximos estavamos nós, como dois desconhecidos que evitavam se encararar, dois estranhos completamente perdidos sem saber como agir. Trocamos algumas pouquíssimas palavras que queriam dizer o fim e depois nos abraçamos jurando que estava tudo bem. Realmente estava, além de que tudo voltou ao lugar certo, eu na mesa com meus amigos, rindo de coisas bobas e planejando o futuro, ele já procurando a próxima vítima. Das outras vezes montavamos o nosso quebra-cabeça todo torto e mal arrumado e então nunca sabiamos ao certo se teria um fim concreto, desistiamos. Dessa vez foi um quebra-cabeça montado todo certinho, que na verdade era pra dar certo se não fosse as peças que nunca farão parte do nosso jogo e com certeza, agora sabemos que por mais que possamos tentar várias vezes, a história não passará de alguns erros e falhas. Por isso, agora tudo caminha para o seu canto, sendo o mesmo desprezível de sempre; que fora amor, eu só tenho horror. E definitivamente, não haverá mais amor. Convenhamos que seja melhor assim. Afinal vivemos em dois mundos completamente opostos.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Amanhã não será nada disso

O porquê eu já nem quero saber. Prefiro deixar tudo assim como está, sem nenhum tipo de planejamento, um dia de cada vez e daqui a pouco a gente vê o que vai dar. Se bem que eu já até sei como é esse fim. O jogo continua igual, melhorando a cada nova partida, hoje está melhor que ontem. Transparente sabe, sem segredos. Só que ainda somos os mesmos, com os mesmos defeitos, enfrentando os mesmos problemas e também alguns novos. E logo logo tudo volta ao normal, cada um seguindo a sua vidinha de sempre. E todos esses nossos sonhos serão mais uma vez só lembranças. A diferença é que agora eu já sei que não existirá um amanhã, e cá entre nós, é bem melhor assim.
Eu sou pecadora, eu sei, não resisto as tentações.

domingo, 12 de outubro de 2008

Voltou

Talvez eu tenha cometido o maior erro da minha vida, mas pela primeira vez eu estou realmente feliz por isso.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Era ELA, hoje sou EU

Depois de um bom tempo eu superei um dos meus maiores medos, abri um antigo texto que havia escrito na terceira pessoa do singular e fiz todas as alterações necessárias para ele estar na primeira.
Foi difícil, porém agora eu tenho coragem para falar de mim mesma:
Eu sou quem comete erros, quem chora escondida e mesmo assim estou sempre com um sorriso no rosto. Eu tenho muitos amigos, cuido de cada um como se fosse o único; não conheço meus inimigos, pois os trato como se fossem nada. Tenho uma porção de sonhos, algumas histórias engraçadas, um pouco de fatos tristes, uma pilha de momentos alegres e milhares de segredos, tão grandes que ninguém nunca saberá de tudo. Eu sou simpática, sei dançar e adoro cantar. Tenho olhares misteriosos e desejos secretos. Eu sei viver e não tenho medo de me apaixonar, conheço o sofrimento e o amor e acredito que esses opostos são uma coisa só! Eu guardo todos os elogios e esqueço as magoas, sei perdoar e confiar. Já ouvi muitas criticas, fui acusada por coisas que não fiz, resolvi problemas que nem eram meus e me dei mal. Porém eu também sempre tive quem me apoiou, quem me ajudou, quem fez de tudo para me ver feliz e até quem disse que me amava. Eu fui enganada, colocada em becos sem saídas. Entretanto escapei de todos eles. Eu conheci bem o que significa saudade, o gosto salgado das lágrimas, a derrota, a espera de notícias dentro de um hospital e o que é estar diante de um caixão. Eu amo minha família e entendo que são fundamentais. Eu viajo, eu estudo e ainda tenho tempo para hobbies. Estou sempre preocupada com a balança e com a moda. Eu exponho os sentimentos e nunca falo da boca pra fora. Eu acho errada a política, preocupo-me com o meio ambiente e acredito em Deus. Eu cometi pecados e fiz boas ações. Eu me iludi e me envolvi, cometi o mesmo erro mil vezes e em matéria de amor, não aprendo nunca, mas o problema é que eu insisto em dizer que amor de verdade só existe um, perde o brilho, mas nunca se apaga. Eu sou real. Eu vivo contos de fadas e volto à realidade quando preciso. Eu não me arrependo do que fiz. Eu provei do bom, e não se contenta com o mais ou menos. Eu ainda não encontrei o caminho da felicidade, mas aprendi que buscar a felicidade é o caminho. Eu ainda tento ser perfeita, ou pelo menos a pessoa mais perfeita para alguém...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Olhando para trás

Eu já subi no ponto mais alto do sofá da sala para voar, levei um tombo e descobri que não tinha asas escondidas embaixo da pele.
Por que só agora tudo faz sentido?

Mesma cena

O filme continua igual
o elenco mudou,
exceto a personagem principal
que ainda é a diretora geral.

"A cena repete, a cena se inverte"

Viver diferente, indiferente

Eu escolhi ser assim exatamente essa coisinha que chora de amor e sorri para estranhos; verdades machucam por isso eu invento a minha vida. Ela inteirinha é um teatro criado pelas minhas ilusões, como uma idéia que existe na cabeça, que fica subentendida. Uns dizem que isso é uma fraqueza, pode até ser, que seja então. Só que a alegria que isso me traz... Faz-me sonhar. E esse sonho, se não acontecer, ninguém precisa saber. Eu continuo sobrevivendo. Então o que eu ganho e o que eu perco são apenas meus segredos. Minha vida segue abstrata, totalmente fora da realidade. (Sometimes)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Mistério

Quem quebrou meu coração enquanto eu dormia?

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Cegonha

Confetes enfeitavam a mesa de jantar, o cheiro delicado dos perfumes mamãe e bebê se espalhavam pelo ar juntamente com o som doce do piano encostado em um canto qualquer. Era linda a forma como tudo cabia perfeitamente em seus devidos lugares, confesso que cheguei a pensar que era um daqueles planejamentos de casinha de boneca para comerciais de TV. Mas não, era o amor que não cabia em si e transbordava pelos corações daqueles que chegavam com lindos presentinhos para um anjinho. Traços desenhados exatamente como a beleza exige, pequenino na sua forma de ser e grande no seu modo de agir. Qualquer seguradinha no dedo de um gigante já era motivo de lágrimas nos olhos deste. E quando ele bocejava então, um coral dizia: "óóó, que gracinha". Juro que era mesmo uma graça. O papai orgulhoso "é um meninão de três kilos e meio" e a mamãe dengosa insistia "ele olha tudo ao seu redor, já conhece cada um de vocês". Realmente ele olhava curioso a cada ruído estranho. Eu tinha vontade de arrancar ele do bercinho e levar para a minha casa. Na saída veio mais uma ótima novidade, a lembrancinha era um pão de mel de chocolate. Adoro essa modernidade.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Machadiano

Esse merece aplausos:

"Joaquim Maria Machado de Assis, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, romancista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839."
Fez de sua vida uma verdadeira vitória, enfrentou problemas raciais, econômicos e nunca parou de lutar, aprendeu francês e inglês sozinho e escreveu textos para serem eternizados. Ele se apaixonou por Carolina Xavier de Novaes com quem viveu 35 anos. Muito doente, solitário e triste depois da morte da esposa, Machado morreu em
29 de setembro de 1908.
Hoje o Brasil lamenta o centenário da ausência de um grande homem. Um dos nossos maiores orgulhos nacionais. Com certeza um escritor que terá seus livros lidos por muito tempo.

"Eu não sou homem que recuse elogios. Amo-os; eles fazem bem à alma e até ao corpo. As melhores digestões da minha vida são as dos jantares em que sou brindado". Machado de Assis

sábado, 27 de setembro de 2008

Sem diferença

Já conheci o sabor amargo de engolir derrotas, foram tantas. Algumas eu fiz questão de esquecer, outras eu prefiro guardar para que sirvam de lição. Se dizem que errar é humano, por que eu também não poderia? O que me dói mesmo não é me deparar com o fracasso, todavia olhar nos olhos dos que tanto esperavam de mim e ver lágrima cheias de pena, isso machuca o meu coração: decepcionar! E mesmo assim, olha ao meu redor e vê quem me acolheu? Como se eu fizesse tudo certo e o mundo tivesse errado.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

About ...

E de repente me olhou com aqueles olhos vivos e azuis e disse que precisava me contar uma coisa séria. Respirou fundo e com tristeza na voz soltou algumas palavras doces com sentidos amargos. Confiou tanto em mim que nem parecia que nos conhecemos a apenas 2 meses. Era verdade, eu sabia, mas já não doia no meu coração. E com um jeito amigável nós nos olhamos e tudo passou para os dois lados. Simplesmente, eu tive a prova da nossa amizade em um idioma que não era o meu. Depois peguei um dicionário bilingue e procurei uma palavra que eu não conhecia, apenas para dizer que ela definitivamente ajudou-me a encerrar um capítulo que me encomodava.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Resultado de um ato qualquer

É que não me importa a causa. O que me importa é o efeito. E amanhã seria só o começo...

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Beija-flor

Os beija-flores são aves de pequeno porte, que medem em média 6 a 12 cm de comprimento e pesam 2 a 6 gramas. Eles têm a língua bifurcada e extensível, usada para extrair o néctar das flores. O esqueleto e constituição muscular dos beija-flores estão adaptados de forma a permitir um vôo rápido e extremamente ágil. São as únicas aves capazes de voar em marcha-ré e de permanecer imóveis no ar. Vivem em média 12 anos e seu tempo de gestação é de 13 á 15 dias.
Eu sempre acompanho os vôos dos beija-flores na chacará da minha avó, fico encantada com cada um deles, sempre surpreendente como se o ar fosse só um mundo mágico de brincadeiras. É incrível também a forma como eles sempre parecem que vão trombar em tudo, mas nunca bateram em nenhum obstáculo. O mais interessante é quando elas vêm beber aguá naqueles potinhos que têm algumas flores artificiais do lado, elas literalmente param no ar e aproveitam cada gotícula doce da água. E isso faz a felicidade delas. As cousas mais pequeninas da vida podem ter grandes emoções. Elas são livres.
Hoje, aqui mesmo na cidade, eu fiz um beija flor feliz ao colocar água em um desses potinhos que antes estava seco. Não esperei tempo suficiente para ver ele descer e beber a sua aguinha. Mas não me importa, pelo simples fato deu reconhecer que fiz a minha parte, sim eu tentei, já me faz muito bem. E que sabe um dia, ela não queira retribuir essa minha boa ação e venha me ensinar o segredo de um vôo tão lindo, feliz e com gostinho de liberdade.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Salgado de menos

Depois que o sal insistiu em ficar no meu rosto, decidi não pensar. Quem ficará no futuro?

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Fuga

As vezes tudo o que eu quero é fugir dessa sociedade.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Academia

Enquanto corria na esteira da academia, observava o modo de ser de cada um que lá estava presente. É interessantíssima a forma como ninguém se parece com ninguém e ao mesmo tempo todos são tão semelhantes. E eu não estou falando da forma física, mas das vidas: uns deixam filhos famintos em casa, outros algumas tarefas domésticas, há ainda aqueles que largam trabalho ou estudos e também os que fazem tudo isso e apesar do cansaço, encontram animo para ir à academia. Talvez seja uma questão de obrigação para alguns, entretanto todas as vidas tão distintas têm um mesmo objetivo: estética e saúde.
É complicado saber o que as pessoas estão pensando, só que se torna tão obvio: basta olhar para cada atleta e ver seus rostos sérios, olhares preocupados e uma concentração incrível. Na verdade, cada ser ali presente está ausente... Não deixaram de pensar nos problemas que têm no trabalho, em casa, na escola. E todas essas histórias de vidas se cruzam, em poucos instantes, na hora de revezar um aparelho. Não existe lógica que explique essas aproximações inúteis, pois dali a pouco tempo todos os corpos que passaram uns ao lado dos outros serão descartados no lixo, coisas que a memória não aproveita. Não guarda. Não usa. Vidas que têm um mesmo objetivo e caminhos tão diferentes.
E quantas coisas na vida não são como uma academia?

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Já fechei os olhos

Sem gorverno, sem coração... Qual a lei da sobrevivência?
O mundo grita: "socorro" e ninguém faz nada por ele. Estou cheia de assistir ao desmatamento, enchentes, secas, furacões, tornados, destruição de casas, órfãos vítimas da violência, humanos sem ter o que comer ou aonde dormir, bebês sendo sacrificados, garotos da alta sociedade usando drogas, lavagem de dinheiro, poluição, doenças e doenças, ar seco, temperatura cada dia mais insuportável, chuva de gelo, educação a baixo nível, animais em extinção, bandido solto, extrupador no parque infantil, lixo sem destino, horror! ... e que horror.
Eu nunca fui tão pessimista assim, só que agora eu já tenho certeza que o fim do mundo está perto! E fomos nós mesmo que quisemos asssim.
... E ainda tem uns que acordam e dizem "- Por que meu Deus?" Será que nunca irão aprender a assumir a própria culpa?
Os homens construiram o degrau que os levarão ao abismo e o mundo realmente acabará cego.

domingo, 14 de setembro de 2008

Os monstros voltaram

Eu criei monstros e me perdi no meio deles na noite de maior escuridão. Acredito que deve ser por causa do medo, afinal, eu tenho medo do que não vejo. Só do que eu não vejo. Talvez seja melhor, na noite que vem, ficar acordada... vai que é mesmo só imaginação. Quem vai me proteger? Não vou sobrar de vítima das circunstâncias. Cansei. E agora eu considero justa toda a falta... Sou grande o suficiênte para poder chorar.


sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Segunda a sexta

Meu dia começa com o sorriso do porteiro, depois é a vez do bom dia dos meu amigos e então o olá cansativo dos meus professores. Durante as aulas o sufoco de aprender e o irritante sacrifício de ter que conviver com quem não sabe respeitar. No intervalo do primeiro tempo vem minha primeira distração, alguns dias um croassant, outros um chocolate e nos mais lights uma barrinha de cereal. Depois continua a mesma crise socioeducacional. No segundo tempo eu aproveito bem os 10 preciosos minutos para encarar mais um pouco de tortura. Hora de ir almoçar, muitos nunca falam tchau, acham desnecessário a despedida. Em casa, eu almoço sozinha enquanto meus pais dormem e meu irmão se diverte no computador. Eu espero a sobremesa, meus pais dizem olá e meu irmão briga comigo. A tarde é mais uma correria, estudos, provas, cursos, academia. Ao anoitecer, arrisco umas notas do meu violão e raramente passeio com minha cachorra. Entre as 18 e as 19 horas, eu sou da minha família: conversamos! Depois cada um volta aos seus compromissos. Jantamos umas 2 vezes por semana juntos. Assisto ao jornal nacional, dou uma passadinha pela internet, leio. No meu quarto faz um frio artificial, eu rezo, sonho, planejo e fecho os olhos para encerrar mais um dia cumprido e comprido. E dali a algumas horas, tudo começa outra vez.

sábado, 30 de agosto de 2008

Folhas

O vento faz as folhas vibrarem nas árvores de maneira tão intensa que até parece que elas voarão para longe. Mas elas ficam, firmes, resistêntes... e somente as folhas secas voam com o vento.
As outras permanecem intactas e no mesmo lugar. Assim como as minhas lágrimas, que não caem devido ao hoje, por mais abalado que seja. Caso alguma não permaneça dentro do meu corpo, é porque suas lembranças já se foram - para longe.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Mas...

Eu tenho um amigo que só fala escrevendo. E como ele escreve bem. Consegue transformar qualquer tragédia em humor, fala sobre cultura, busca a filosofia, descreve o dia e também suas obrigações. Entretanto o que me assusta é quando ele fala sobre sentimentos, fico tão triste! Até parece que ele tem um vazio que precisa ser urgentemente preenchido. E quando eu pergunto se está "tudo bem", ele nunca termina a frase. Acha desnecessário. Será mesmo? Queria tanto poder falar as palavras certas, mesmo sem ele me perguntar nada, queria ser útil, bem mais útil.
Queria ver seu sorriso por inteiro e não só de uma gargalhada boba.
Minha torcida por você é que seja feliz!
"... felicidade é o próprio caminho. "
Não estou te pedindo para mudar, nem teria esse direito e afinal gosto de você exatamente assim; mas só te peço um favor: não deixe o seu coração num canto qualquer.

domingo, 24 de agosto de 2008

Por que você?

É você e não tem porque nem para quê.
Muitas pessoas podem passar pela minha vida, deixar algumas marcas inesquecíveis. Mas você... você não passa! O sentimento não muda.
É sempre assim, você vem sem avisar e entra pela porta que sempre deixa aberta ao sair. (Não saia!)
Para que promessas se você nunca consiguiu cumprir? Não garanta que vá tentar fazer diferente, como você mesmo disse eu te conheço melhor do que você mesmo.
Sei dos seus sorrisos e olhares, sei quando está triste e quando está feliz, sei quando mente e quando queria que fosse mentira, sei de todos os seus passos, todos os seus truques, desejos, pontos fortes e fracos, sei também como te provocar e sei quando me provoca. Eu conheço cada passo do seu dia e não preciso que ninguém me informe sobre a sua vida, eu simplesmente sei.
Só não sei o porque você faz isso comigo. Para com esse jogo duro de me querer só por querer. Me diga a verdade, confessa que você também pensa em mim, que eu não sou o seu brinquedo, que não sou só o remédio que cura o seu tédio quando seus amores não lhe satisfaz. Eu te faço feliz, não precisa dizer, basta olhar para o seu rosto quando você me toca. Eu não sou mais uma, se fosse, também já teria passado. Só que do mesmo jeito que depois de anos vôcê ainda está na minha vida, eu também estou na sua.
Não sei por quanto tempo ainda vou te esperar. Mas por favor, ouça o meu conselho: só me procure quando você descobrir que me quer de verdade, de verdade!
...eu estava aqui o tempo todo só você não viu!
Será que algum dia encontraremos explicação para a nossa história, para as conhecidências que insistem em nos aproximar?
Ontem, eu fui mais forte do que eu constumava ser.
Bem mais forte.
Nosso amor já virou novela. Eu não preciso saber o final. Mas se cada um faz a sua história, a nossa pode ser feliz também!
Talvez eu diga: - "pra ser sincero prazer em vê-lo até mais"!
. "...nós dois temos os mesmos defeitos"

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Osmose

Vou revelar um segredinho, ou melhor um sonho: Queria tanto que conhecimento pudesse ser adquirido passando os livros sobre a minha cabeça. Seria tão simples não?
Juro que muitas vezes me pego pensando em aonde vamos parar. Será que era exatamente esse o objetivo da vida? Que cada um se fechasse em um mundo só seu: deixando para trás minutos preciosos que poderiam ter sido gastos com uma volta ao parque observando os vôos das borboletas, pegando frutas diretamente do pé das suas respectivas árvores ou quem sabe apenas um abraço quente bastaria.
Só que tomamos um rumo completamente oposto: está cada vez mais acumulativo a quantidade de ciências que tenho que armazenar, ou as fórmulas inúteis que não posso esquecer. (Tenho que ser forte). Será que era isso que "quem criou a vida" queria para nós? É certo descobrirmos os mistérios do mundo? O enigmático seria melhor se fosse sempre um mistério.
CAPITALISMO... CAPITALISMO!
É essa a questão!
O mundo é competitivo demais para ser carpe diem. Ninguém mais aproveita o dia, estão todos planejando um futuro. Virá?
Para que mesmo tudo isso se eu vou me decompor embaixo da terra?
...Parece que estou sentindo a PPV*

*pressão pré vestubular

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Enfim

Conheci o famoso poeta do lado.
- "você é quem eu estou pensando que é?"
E do blogueiro distânte fez-se o abraço de quatro braços.
Um prazer conhecê-lo.

(Só) mais um.

De vez em quando acontecem coisas em nossas vidas um tanto que impossíveis de entender. Sabe quando o arrepio te pega de surpresa e o seu coração acelera por alguém que jamais pensou que fosse acelerar?!
Eu sei que vou lembrar para sempre. Ultimamente falo em você todo o dia. Sem querer penso em você toda hora.
Só que é por saudade que eu vivo assim. Não sei porque, não deveria imaginar coisas impossíveis... não deveria nem imaginar. Algo prejudica o meu coração. Descobri que também prejudica minhas atitudes.
Para que planos?
Por que acontece assim?
Se tudo faz sentido... ainda não encontrei a lógica do meu.
E como tudo o que envolve atração, eu só queria que fosse diferente! Quem sabe só mais uma vez. Como eu quero, nem que for só mais uma.
Afinal, você é também só mais um.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Today is gonna be the day!
And I don`t know why...

=X~

domingo, 10 de agosto de 2008

Dia dos Pais, e cade o meu?

Enquanto eu coloco o meu chapéu de cowgirl e me preparo para a festa, meus pais devem estar escolhendo a próxima roupa de frio! Bem longe.
Durante esses dias eu fui a dona de casa. Garanto que o difícil não é arrumar os cômodos, e sim colocar ordem no meu irmão. Um pestinha. Só que a gente se acostuma, nos acostumamos com pizza, hamburguer, hot pocket, mini chiken, sorvete, chocolate e não poderia faltar o miojo! Está tudo bem americanizado.
Minha rotina é acordar tarde e dormir tarde, isso me lembra férias.
Ah, também assisti ao brilhante espetáculo capitalista chinês.
E do alto, vi pessoas sairem correndo da arena, só depois entendi que eles têm medo de chuva.
Só que a coisa mais estranha nisso tudo é a ausência do meu pai no dia dos pais! Estou ansiosa para lhe entregar o presente que comprei e mais ainda para dar um abraço forte e dizer: "como você faz falta".
Saudade, também estou da minha mãe, em todos os sentidos. Não sei nem escolher uma roupa sem a opinião dela, nem quantos segundos eu devo colocar no microondas; quero lhe contar as novidades e até chorar nos braços delas, também quero ajuda para lavar a louça.

.quero que voltem

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Flora e Donatela

Parece tonteira infantil falar de novelas. Mesmo assim, eu insisto em falar. Talvez a revelação da grande e misteriosa assassina tenha sido mesmo um assassinato aos telespectadores. Milhares de pessoas infelizes, frustradas e decepcionadas com o rumo que a estória do horário nobre tomou. Apesar de estar óbvio (essa era as reclamações), foi surpreendente, afinal, de tão na cara que estava esse crime, ninguém acreditava que seria realmente isso. Por que o ser humano nunca acredita no mais evidênte? E minhas críticas não acabam aqui. Sabe o por que muitas pessoas perderam o encanto pela novelinha? Simples, porque estão tristes devido ao fato de sua idolatrada mocinha ser a vilã das cenas. Cínica, falsa, desgraçada! As aparências enganam. Quero ver só como as provas poderão se converter para a verdadeira inocênte. Dezoito anos na prisão, um planejamento para a vida inteira. Não... e os envolvidos nesse rolo todo? Que decepção.
Caros leitores, cuidado que a própria vida prega peças injustas.

Simples

O que eu queria mesmo era um banho quente em noite fria
...e quem sabe, o leite!

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Where is the true?


Os carros não voam! E olha que um dia isso já foi considerado uma grande promessa para o século XXI. Ah, tenho outra boa piada: o mundo ainda está aqui! Ainda bem né. Disseram que ele iria acabar. Em quem acreditar? Até minha mãe já mentiu para mim, quando eu fui tomar vacina, ela garantiu que não ia doer nada.
Talvez o mundo só tenha mentirosos ou quem sabe ele não seja a própria mentira. Nós o enventamos. E quem inventou as mentiras? E as verdades?
... A certeza que tenho é que nessa vida, todos os dias, nós somos obrigados a escolher algo que nos emotive para acreditar, confiar. E é só!
Um bando de verdades inventadas.
"Em quem você acredita agora"?

domingo, 3 de agosto de 2008

Onde há mais tempo?

Corre e corre, descobri que a vida não pára para eu realizar todos os meus objetivos. Será que foram essas férias que me deixaram tão sedentária a ponto deu não conseguir mais organizar minhas metas diárias? Estou tentando.
Entre desabafos amigáveis e pedidos de conselhos, eu refleti que talvez eu ainda tenha algum valor para alguém, só que mesmo assim não posso ser tudo o que eles esperam de mim. Todos me fazem perguntas que ninguém sabe a resposta, quem sou eu para saber? Digam-me! Meu único consolo foi encontrar alguém tão "carpe diem" e filosófico quanto eu, para me explicar o por que todos quem por quês! (confuso)...
Quanto ao resto, tédio pela volta as aulas, acho que já estou cansada demais. Meu professor estava certo quando disse que há uma grande diferença quando acabam suas férias de verão e de inverno. No verão todos estão ansiosos e cheios de promessas de estudos, querendo ser melhor que o ano anterior... no inverno, todo mundo se deu conta da realidade e ninguém quer voltar, nem os mais bobos!
Em uma parte de mim há tristeza. Só que ainda não caiu minha ficha... Ontem foi a festa de despedida de uma grande amiga, ela vai para longe e eu já aguardo sua volta. Se um mês já demorou tanto para passar, quem dirá um ano! (lágrimas)
Outro pedacinho meu esta contente, dois amigos voltaram e ainda com lembranças. Que fofos, recordaram-se de mim. (sorrisos)
Há também felicidade por eu ter conhecido minha nova amiga alemãzinha (uma graça), já até trocamos confidências e ainda pratico outros idiomas. (momento cultural)
Bem... talves, por hoje, eu transformei a minha página virtual em um diário.
Senti-me bem fazendo isso, afinal estou tão cansada para discutir com os meus próprios pensamentos... Se não quiserem ler, nem precisa, foi só uma necessidade de desabafar.
Desculpem-me pela ausência.
Acho que voltei!

sábado, 26 de julho de 2008

O caderno

Ouvindo Chico Buarque, eu suspiro. Lembro do meu pai olhando o seu bebê - eu - sonhando com toda a minha vida, planejando os meus passos. Estando do meu lado a cada nova conquista, que grandes conquistas: quando engatinhei, gargalhei, quando disse a minha primeira palavra, desenhei um rabisco, aprendi o bê-a-bâ e cresci! A cada novo deslocamento, ele estava ali sonhando comigo, sorrindo e chorando. Ele também dançava a minha canção, cantava para mim. Ele me mostrava os animais em forma de nuvens, fazia caretas e de tudo para me fazer sorrir, ele sempre era meu amigo e me dava abrigo, também sofria comigo nas provas bimestrais, ainda guarda as minhas cartinha, meu confidente fiel, o pranto molha o seu papel... a vida se abrirá num feroz carrossel, a vida segue sempre em frente, o que há de fazer?
Hoje ainda está comigo, seguindo os meus passos. Não querenso ser o meu dono, é só um cuidado de pai. E diante de tanto que ele fez por mim, tantos esforços e como eu dei gastos...
De tudo, ele só me pediu um favor: para eu não o esquecer em um canto qualquer.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Receita de bolo

Ovos, farinha, óleo, cenoura ... Assim que termino a minha noite de hoje, seguindo uma receita de bolo. Seria tão bom se a vida também tivesse a quantidade exata de ingredientes para que no fim tudo ficasse perfeito. Só que as vezes nem os bolos ficam... e a vida sem receitas?

Um mês

"tenho juízo, mαs não fαço tudo certo, αfinαl todo pαrαíso precisα de um pouco de inferno".

"Acordei com o seu gosto
E a lembrança do seu rosto
Porque você se fez tão linda
Mas agora você vai embora
Quanto tempo será que demora
Um mês pra passar
A vida inteira de um inseto
Um embrião pra virar feto
A folha do calendário
O trabalho pra ganhar um salário
Mas daqui a um mês
quando você voltar
A lua vai estar cheia
E no mesmo lugar
Se eu pudesse escolher
Outra forma de ser
Eu seria você
E a saudade em mim agora
Quanto tempo será que demora
Um mês pra passar
Ser campeão da copa do mundo
Um dia em Saturno
Pra criança que não sabe contar vai levar um tempão
Daqui a um mês
quando você voltar
A lua vai estar cheia
E no mesmo lugar"


Eu prometo que ainda estarei aqui, assim como tudo o que você deixou vai estar te esperando, a lua ainda é a mesma. Quanto ao paraíso, é bem melhor picante. Um pouco de chocolate com pimenta não arde.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Quanto tempo dura o hoje?

"O tempo é muito lento para os que esperam. Muito rápido para os que tem medo. Muito longo para os que lamentam. Muito curto para os que festejam. Mas, para os que amam, o tempo é eterno."
Diga-me o que sentes, que eu direi quanto tempo durará o seu hoje.

In love?

Apaixonada? Talvez eu nunca tenha deixado de estar... As vezes pela vida, as vezes por mim mesma, pela minha família, pelos meus amigos e por que não por alguém em específico? Tá bom vai, eu sei que sou um mistério, até para mim mesma, não entendo nada que se passa dentro do meu coração. Apenas vivo com tanta intensidade que me esqueço da razão, ou será que amar é a própria razão?
"Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim...E ter paciência para que a vida faça o resto..."

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Só hoje.

Só por hoje eu precisava do seu abraço quente envolvendo a minha pele delicada; ouvir sua voz entrando em sintonia com o pulsar do meu coração e só por hoje eu fecharia os olhos para te ver na escuridão; trocaria os meus melhores livros de contos de fada por um único conto real. Só por hoje eu apagaria de vez o meu passado e não pensaria em nenhum futuro; deixaria de lado todas as minhas preocupações e iria preparar um jantar simples para nós dois; enfeitaria a casa com flores coloridas, gravaria um cd apenas com uma música - a nossa - e seria ele que tocaria a noite toda. Apenas por hoje eu esqueceria todo o mal que você praticou, fingiria que as falsas promessas nunca foram ditas. De súbito, eu fecharia a porta da minha vida e reservaria exclusivamente o melhor lugar para você assistir ao meu espetáculo. Só por hoje você não seria unicamente o personagem principal da minha história, seria também o meu espectador. Seja lá o vilão ou o mocinho, para mim tanto faz, o importante é que você seria só meu.
Apenas por hoje.
E sem querer, o hoje seria toda a minha vida.

sábado, 19 de julho de 2008

Velocidade máxima

Que força tem o vento... senti a liberdade e o medo a flor da pele. Já sentiu essa emoção? Eu garanto que é um dos espetáculos mais intesos criados por nós mesmos, uma mistura de material com natureza. Sim, um asfalto quente, um motor forte, um vento encantador, uma paisagem sem explicação.
Eu, a vida!
Uma possível falha poderia ser o fim. E não dependia só de mim, também devo tomar cuidado com os outros. As vezes sofremos consequências que não deveriam ser nossas. Ou deveriam sim, depende do destino.
Sei que o medo existia, só que a emoção era bem maior. Valia a pena. Uma sensação de liberdade sem igual.
E outra, eu acredito que o que tiver que ser, será.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Sofrer é um erro.

"O sofrimento é um aspécto desnecessário da experiência humana. Não só é desnecessário como também é desagradável e nocivo para a saúde"
(Neale Donald Walsch)

Sofrer é só uma escolhe ínutil daqueles que não tiveram coragem de ousar. Agora chora e não se consola, fica pasmo e indignado achando que não merecia isso...
Aí aí essa humanidade nunca vai aprender a assumir os seus erros: - 'A culpa foi minha, eu que quis assim.' E então mudar, levantar e recomeçar. Por que eles complicam tanto por nada? Os Homens se odeiam, mas são totalmente dependentes um do outro. Esse cara que ficou ai sofrendo, não vai ser humano o suficiente para sair do poço sozinho, ele vai ficar rezando a espera de um milagre, colocando todas as suas forças nas orações, como se um Ser Maior fosse o grande responsável por ele e só sairá do poço quando outra pessoa - com pena - esteder a mão... Não que eu seja contra orações, não é isso! Eu também rezo, porém acho que não devemos acusar Deus pelas consequências das nossas escolhas e muito menos esperar que tudo o que desejamos caia em nossas mãos sem fazer nenhum esforço. Orar não deveria ser para 'pedir', e sim para 'agradecer'.
Sofrer é realmente uma escolhe, não um destino. E se você errou e está sofrendo, não espere que um milagre faça a diferença. Afinal você entrou nessa sozinho e é sozinho que deverá sair.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Comunicação interna

O sentimento é a linguagem da alma.

Palavras

As palavras são de fato o comunicador menos eficaz. Pois estão mais sujeitas a erros de interpretação e compreensão.

domingo, 13 de julho de 2008

Queridos amigos

É tão complicado entender os sentimentos...
Hoje eu não estou aqui para falar de amores mal resolvidos, família, política, religião ou qualquer outra coisa assim.
Preciso falar de amigos. Quanto vale uma amizade verdadeira?
Nem tudo tem preço, eu até poderia comprar pessoas, mas valor nenhum paga os sentimentos.
Ver Conhecer Gostar Amar. Essa é a escala da amizade. O passo a passo de como não tirar alguém do seu coração. Sabe eu já tive amigos de todo jeito: brancos, negros, japonêses, góticos, emo, saidinhos, quietinhos, mauricinhos, patricinhas, filosóficos, alienados... e nessa imensas diferenças eu descobri que não existe um ideal de amigo, e sim um amigo ideal. Já errei, já fui traida, já tive amigos falsos, interesseiros, já fui sozinha e senti o gosto amargo da solidão. Talvez seja por isso que eu dê tanto valor mesmo a menor das amizades e por ter tido tantas experiências, eu aprendi em quem confiar, não prometo que não irei errar, mas com certeza jamais cometerei os mesmos erros de novo. Juro que tenho amigos que sempre sonhei. Pessoas que me entendem com o olhar, que me aconselham certo mesmo sem saber meu problemas, que respondem perguntas que eu ainda nem fiz, amigos que me fazem sorrir mesmo as 7 horas da manhã, que secam as minhas lágrimas mesmo as 3 h da madrugada. Como é bom ter amigos! Compartilhar segredos, divertir-se, conversar, amar, ter para quem ligar, ter quem abraçar. Parece que está tudo tão perfeito... Meu único medo é perder. Não, eu não quero perder. Talvez eu realmente nunca perca, tomara. Quero ser eterna no pensamento deles e delas, assim como serão nos meus. Não sei se eu sou tão amada como eu amo, mas se eu for apenas metada da metade, sei que sou muito amada. Dizem que haverá amizade apenas pelo fato de terem as mesmas lembranças. Só que eu não quero ser só uma lembrança do passado. Eu quero ser o presente e sonhar com o futuro. Me entende? Vai sei impossível ter TODOS sempre juntos, agora está chegando a hora que cada um vai para uma cidade, em universidades diferentes... vai ser um inverno horrível... Não, não eu vou fazer primavere e verão! Prometo. Meu vizinho de blog me ensinou uma coisa muito importante: que a distância não separa, a ausência sim. Por isso serei presente, seja por mensagem, ligação ou internet. Para sempre eu vou estar aqui, como vocês. Queria que soubessem o quanto eu os amo, o quanto dedico minha vida a vocês. Espero estar fazendo tudo certo, para sempre ficar o meu eco. Não, não vão embora, preciso de vocês para sempre. Sei que um dia ainda iremos nos encontrar.

"Pode ser que um dia deixemos de nos falar... Mas, enquanto houver amizade, Faremos as pazes de novo. Pode ser que um dia o tempo passe... Mas, se a amizade permanecer, Um de outro se há-de lembrar. Pode ser que um dia nos afastemos... Mas, se formos amigos de verdade, A amizade nos reaproximará. Pode ser que um dia não mais existamos... Mas, se ainda sobrar amizade, Nasceremos de novo, um para o outro. Pode ser que um dia tudo acabe... Mas, com a amizade construiremos tudo novamente, Cada vez de forma diferente. Sendo único e inesquecível cada momento Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre. Há duas formas para viver a sua vida: Uma é acreditar que não existe milagre. A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre" .
Albert Einstein

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Beleza & Imperfeição

Ninguém acredita no poder da beleza da juventude, mas todos lutam para atingir a perfeição. São horas diárias de malhação (buscando um abdômen bem definido), regimes absurdos (procurando perder peso) e por que não um bisturi? Tira um pouco daqui, coloca ali, reduz o nariz, dá uma mexidinha na orelha, passa por laser, coloca cabelo, pinta, corta, muda, pronto uma nova pessoa. Será que vale mesmo a pena tanto sofrimento para levantar a auto-estima? E o investimento milhonário $$ ? E a confiança nos médicos?
Afinal, quem inventou o modelo de beleza? [Esse superlativo]. Quem determinou o que é lindo e o que é feio? Só sei que vivemos de comparações ("Ah como eu queria ter o nariz daquela atriz, a barriga daquela apresentadora, a voz daquela cantora e etc etc") e por mais que fazemos, nunca estamos no ápice da perfeição: precisamos de melhoramentos contínuos, infinitos retoques, aperfeiçoamento compulsivo...
E a identidade ímpar, onde fica? Porque não consiguimos ver a nossa beleza, os nossos pontos fortes, porque não nos contentamos com nossas expressões de personalidade?
Não conseguimos ser o que somos!
"Já está mais que na hora de deixar de acreditar que existe um mundo cor-de-rosa. Não existe. Nem para você nem para a garota sorridente da capa de revista. Os conflitos, as idas e vindas, os erros e todas as outras mancadas do caminho fazem parte do processo de vida. Ver a perfeição apenas naquilo que não se tem ou no que os outros têm é um tipo de comportamento que só gera insatisfação." (Vida Simples)
Chega de listar os nossos defeitos, ou melhor, o que achamos que é imperfeito. Está mais do que na hora de renovar, aceitar as possíveis falhas e lutar para a nossa felicidade natural. Não me importa o que as pessoas vão pensar de mim, se eu não sou o ideal de beleza para elas, se estou longe de me parecer com a mulher mais bonita do mundo... Eu tenho que viver para mim mesma. Nada adiantaria dentes brilhantes se eu não sorriria.
De onde surgiu essa competição, quais são as causas da busca do perfeito, eu juro que eu não sei. Entretanto, esse é um processo que todos entendem bem. Só espero que um dia ele acabe... afinal, não há diferença ente ser lindo ou feio, de qualquer modo todos acabaram com a carne podre embaixo da terra. Deveríamos parar de gastar com esteticistas e cirurgiões plásticos e começar a gastar com lazer para a família, doações para pessoas carentes... Chega de somar detalhes, vamos multiplicar sorrisos! Pode ter certeza que isso é o que realmente importa, seriamos muito mais perfeitos se não quisessemos ser tão bons!

PS: Na teoria tudo funciona.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Formato mínimo

Eu sonho, é tão raro sonhar... O imaginário domina o meu consciente e quando eu percebo já é tarde demais para voltar a realidade. Já estive nas nuvens e quase cai no chão, foi fácil amar. E quem jura que eu esqueci? A tragédia aconteceu porque eu procurava um príncipe e ele procurava a próxima. E mesmo assim, eu ainda insisto em sonhar.
"A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la." Bob Marley
video

sábado, 5 de julho de 2008

Mas eu volto!

Estarei de partida daqui a poucas horas. Já posso sentir o frio na barriga tomando conta de mim, até parece um sonho maluco fora da ordem cronológica. É isso mesmo, ontem eu entrava em um ônibus com a escola para ir até Foz do Marinheiro ou então para visitar uma granja e ainda ganhar um pintinho de estimação. Agora estou indo decidir o meu futuro. Esse meu relógio viu, tenho certeza que está adiantado demais.
Lá eu não serei ninguém, não importa quem são meus pais ou em que escola eu estudo, serei mais uma no meio de uma multidão de concorrentes, só uma candidata de um vestibular somatória enfrentando feras bem mais experiêntes que eu. Acho que não estou preparada. Que me importa? Insisto em dizer apenas que meu relógio está adiantado demais.


Até breve.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Quase primatas

Antigamente as famílias sentavam em volta da mesa e conversavam, uma prosa tão doce e incansável que ia até o fim do luar, até o momento em que ninguém mais tinha saliva. Então eles apagavam suas velas e encaravam um sono profundo, só acordavam depois do terceiro canto do galo. Ao amanhecer dirigiam-se ao curral com suas canequinhas de plástico e bebiam um leite naturalmente morno, o resto do dia era trabalho, comida e prosa (não entendo como tinham tanto assunto). Mesmo sem ter nada para fazer, eles tinham tudo. Eram felizes. A simplicidade do campo, toda aquela harmonia e humildade bastavam ao homem "tão longe de amarguradas ilusões e de falsas delícias" (Eça de Queirós).
Atualmente, acreditamos que o mundo gira em torno da complexidade, e realmente gira. Pode até ser que ainda há aqueles que reunam a família em volta da mesa, porém todos se mantêm em silêncio ouvindo as notícias do telejornal ou a novela das oito. Ninguém mais apaga as velas para ir dormir, uns dirigem-se ao computador, enquanto outros preferem a televisão ou quem sabe o video game. Os humanos são totalmente dependentes dessas tecnologias: os adolescentes não sabem escrever cartas, as crianças não sabem nem o que significa isto, os adultos trabalham o dia todo na frente de máquinas e chegando em casa vão para onde? Quando o telefone resolve não funcionar é xingamento na certa. E quando toda essa modernidade resolve "pifar", todos deveriam encarar como uma oportunidade para prosiar, só que não é assim não, se surge algum assunto ele é exatamente assim: - Essa internet está uma porcaria. E quantos porcarias eu ouvi hoje, perdi até as contas. O pane no sistema foi assunto de jornal, quase 24 horas sem internet, empresas não funcionaram, jovens entraram em crise... Foi um tremendo caos, confesso que até eu cheguei a pensar: "Como eu sobreviverei sem o meu msn, orkut, blog ..."
Construímos nossa vida em torno de coisas materias; não consigo beber outro leite se não for o de caixinha.
Será que isso vai durar para sempre? Acho que vai chegar uma hora em que as linhas estaram tão congestionadas que não haverá mais lugares livres para passar ondas eletromagnéticas. E então será o fim da nossa ERA COMPUTADORIZADA. Nos rebaixaremos a primatas, teremos que começar tudo do zero... Acho que não vou me adaptar!

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Odeio amar

Meu único erro foi ter te conhecido. Agora tire esse seu sorriso do caminho porque eu estou passando com a minha dor!
Quando o sonho vai acabar?

"I hate the way you're always rightI hate it when you lieI hate it when you make me laugheven worse when you make me cryI hate it when you're not around and the fact you didn't call, but mostly I hate the way I don't hate you, not even close, not even a little bit, not even at all "

domingo, 29 de junho de 2008

Descobertas

Ontem, na porta de um pronto socorro, eu perguntei o que é a vida.
Curiosamente, ninguém soube me explicar.
E então, diante de tanto, eu vi o quão estúpidos são os meus problemas.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Despedidas

Dois abraços silenciosos, olhos fechados tentando desfarçar a dor, sorriso aberto de quem gosta... Assim foi a despedida.
Sem confetes, nem lágrimas. Apenas um até logo sofrido que não entende quanto tempo demorará um mês para passar. Duas criaturas abrindo suas asas, querendo voar, testando a liberdade, a coragem, os limites. Uma aventura inédita. Um filme da sessão da tarde que eu não quero ver reprise, o qual eu espero não haver erros de gravações, o filme que eu assistirei do começo ao fim sem nenhuma piscada, aquele que eu decorarei todas as críticas e presenciarei a entrega do oscar!
Meus amigos, quem diria, ontem sentados no pátido da escola com uma lancheira de super herói; hoje, os meus heróis.
Amigos que marcaram minha vida em vários momentos, que disseram palavras que tocaram a alma, que deram-me alicerces para eu chegar as estrelas, amigos que deixaram um pedacinho deles em mim.
Misteriosa forma de cruzar vidas e seguir cada um o seu caminho, só que de um jeito diferente, porque eles fizeram a diferença.
Se sentirei saudades? Está explícito!

Desejo mesmo é que vão "and enjoy the life"! Entretanto o que eu realmente quero é que voltem, pois o meu abraço será os seus lugares.
Adoro ter vocês perto de mim e não estou gostando nada desse ensaio maluco de adeus.
Malas prontas, passagens na mão e bem vindo inverno, você chegou!

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Humorístas

Vai me conta uma piada, faça uma mímica, dance engraçado, faça cócegas, caretas, dê um beliscão, invente uma rima, me derrube na lama, me surpreenda... Para arrancar uma boa gargalhada vale tudo! E afinal qual outra graça teria a vida se não fosse rir dela mesma?
Todos tentam se divertir, mas quem realmente consegue encontrar a diversão? Que atire o primeiro riso quem nunca fez alguém gargalhar, quem nunca contou uma piada, quem nunca sentiu cosquinhas, quem nunca usou uma roupa engraçada e tornou-se a piada.
Ser humorista é profissão ou hobby? É certo ganhar dinheiro por despertar nos homens vontade de rir?
Sei que é engraçado e até confesso que eu já paguei para alguém me fazer rir. Porém nem precisava, cruzo todos os dias com verdadeiros palhaços que não cnseguem nem contar uma tragédia sem humor.
São colegas de classe que fazem do uniforme um nariz vermelho, professores que fazem caretas nas aulas de história, falam besteiras nas de literatura e cenas pornográficas nas de física... no almoço, meu irmão me diverte com sua malícia, minha mãe com suas brincadeiras, meu pai com sua ironia e até minha cachorra com suas gracinhas... Ah, quantos palhaços na minha vida!
Pessoas que assim como o ar, me parecem vitais!
Meus humorístas prediletos...

Sem essas gargalhas de todo dia, não resistiria as lágrimas de toda noite.

domingo, 22 de junho de 2008

Brás Cubas

"Sofremos, porque somos egoístas, vaidosos, porque sonhamos além da conta, porque a sociedade é mal estruturada, porque os homens se exploram mutuamente, ou porque somos errados por princípio. Tais críticas parecem apontar as causas da dor humana. Mas, como são várias, não podemos ter certeza de nenhuma em particular. Por isso, em relação a elas, devemos sempre utilizar uma certa desconfiança, uma dúvida metódica. Para Brás Cubas, as certezas absolutas são tolas. E como é sempre esse o caso de que ele trata, nada de estranhar um certo clima de humor" (Por trás das letras)
"Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico com saudosa lembrança estas Memórias Póstumas.
...
Somadas umas cousas e outras, qualquer pessoa imaginará que não houve míngua nem sobra, e conseguintemente que saí quite com a vida. E imaginará mal; porque ao chegar a este outro lado do mistério, achei-me com um pequeno saldo, que é a derradeira negativa deste capítulo de negativas:
– Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria"
(Machado de Assis)
Este é um dos meus livros preferidos, talvez por mostrar que não existem pessoas felizes, apenas felizardos; esse tom pessimista me faz sentir bem. Será que isso é possível? Sou estranha, quando vejo alguém com problemas maiores que os meus, me satisfaço.

sexta-feira, 20 de junho de 2008



Eu aprendi

o quão importante é dar um sorriso

quando a vontade é derramar uma lágrima.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Artes imperfeitas

Eu já derrubei sorvete de uva na camiseta branca que tinha acabado de ganhar; já tentei ajudar a mamãe a limpar a casa e passei pano molhado na televisão; já fiz uma surpresa pro papai e rasguei todos os papéis que sempre faziam ele ficar bravo; já escondi os óculos do vovô para ver se ele sabia brincar de esconde-esconde; já enterrei o meu irmãozinho na areia; já tentei mudar a cor da sala de jantar com as minhas tintas guache; já espalhei as linhas de costura da vovó só para deixar a casa dela mais colorida; já joguei água no cabelo da titia quando ela tinha acabado de chegar do salão de beleza; já fiz um desenho de flor na lição de casa do meu primo; já guardei o telefone na geladeira quando estava calor e por pouco não coloquei o cachorrinho da vizinha no microondas quando ele tomou chuva...
Bolei todos esse planos sozinha, e muitos outros também, achava que assim que os adultos descobrissem que era eu a responsável por essas boas ações, eu ganharia um presente. Porém não era assim, eu não entendia o porquê que no lugar de um sorriso eu levava broncas. Uns falavam que eu era arteira, outras insistiam que era só uma fase, tinha também os que me achavam uma gracinha e quantas vezes não fui confundida com o pestinha. Todos estavam errados: eu era criança e só!
Os adultos nunca entendem e chamam tudo de arte!
As crianças sempre tentam explicar e chamam tudo de felicidade!
Só que os adultos nunca escutam as crianças, estas acham cansativo demais ter que explicar toda vez e acabam fazendo bico...
A verdade é que só as crianças sabem ser felizes e eu até poderia dar a receita dessa felicidade (porque não faço mais bico), mas infelizmente já cresci e agora eu também não ouço as crianças.
(...)

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Cores na escuridão

Em um canto escuro, afogada em mágoas, cansada de ver derrotas, e engolir desaforos, pensei no meu dia anterior: no tanto que eu deixei... O que eu deixei de ver, de ouvir, de falar, de sentir, o que eu deixei de lado por achar fútil, o que eu deixei de lado por achar hipócrito, o que eu deixei de lado por achar que haviam coisas mais importantes, o que eu deixei de lado por achar que não daria tempo, o que eu deixei de fazer por achar que não daria conta... Tudo eu perdi! Perdi oportunidades, perdi chances de ser melhor ou de fazer alguém mais feliz, perdi o rumo, perdi a coragem, perdi a vontade, perdi mais um dia tentando ser o que eu não queria.
E em meio essas perdas eu refleti, entendi que eu não poderia voltar atrás e realizar o que era certo, mas percebi que ainda tinha duas opções: a primeira era fechar os olhos, ignorar tudo o que já foi, simplesmente esquecer as feridas que tanto me encomodam e afundar ainda mais no poço da solidão; ou eu poderia levantar e no mesmo canto escuro que eu vi mágoas, poderia encontrar cores... um colorido que me fará sentir melhor, que dará vida aos meus sonhos. Literalmente, levantar do poço e não me sentir derrotada por ter deixando tanto de lado, porém me sentir vitorioso por ter vontade de amanhã começar tudo outra vez. E agora, não mais tentando ser uma máquina, mas ser humana.

"Não estou pedindo uma segunda chance
Estou gritando com toda minha voz
Não me dê escolha, só me dê razão
Senão eu vou cometer, o mesmo erro outra vez."
Agora eu estou tentando me encontrar!

terça-feira, 17 de junho de 2008

Sucesso, inveja & derrota

Se eu vi mais longe, foi por estar de pé sobre ombros de gigantes. (Isaac Newton)
Ninguém chega no topo sozinho. Todos têm grandes capacidades, o que diferencia uns dos outros na busca pelo sucesso é a maneira como se constrói a ponte que vai até lá. Diria que "querer é poder" e basta ter um pouco de vontade de chegar mais longe e mais ainda, saber usar as coisas certas que te encaminhe até os seus objetivos, vale lembrar que também é valido usar as pessoas - não como se elas fossem brinquedos ou simplesmente estátuas sem sentimentos - elas são humanas. Não devemos humilhá-las ou maltratá-las, mas ter algo chamado contato esperto, afinal uma ajudinha extra é sempre bem vinda. Como disse Isaac Newton, ele só pôde ver mais longe que os demais porque soube se apoiar nas pessoas certas. Não contando apenas com a ajuda, mas também com os exemplos que eles podem nos dar... e para tudo isso exíge-se cuidados, um controle enorme para não deixar essa relação transformar-se em inveja.
"Inveja é o desejo por atributos, posses, status, habilidades de outra pessoa gerando um sentimento tão grande de egocentrismo que renegue as virtudes alheias, somente acentuando os defeitos. Não é necessariamente associada à um objeto: sua característica mais típica é a comparação desfavorável do status de uma pessoa em relação à outra.
Entretanto, a inveja não é uma característica intrínseca do gênero humano ela é fruto do egoísmo, em uma sociedade concorrencial.
Os indivíduos, em contraposição, disputam poder, riquezas e status, aqueles que possuem tais atributos sofrem uma reação dos que não possuem, que almejariam ter tais atributos, isso em psicologia é denominado formação reativa: que é um mecanismo de defesa dos mais "fracos" contra os mais "fortes".
A inveja é um produto social e histórico, sentimento esse arraigado no capitalismo no
darwinismo social, na auto-preservação e auto-afirmação, a inveja seria a arma dos "incompetentes".
Numa outra perspectiva, a inveja também pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física, seja pela intelectual."
Ter inveja é ser incompetente, e para quem deseja chegar no topo, essa característica não se deve possuir.
O recado que eu deixo é simplesmente lute! Saiba estar no lugar certo, com as pessoas certas e na hora certa. Acredite no seu potencial, na sua capacidade de vitória; o resto do mundo que se exploda; selecione o que te faz bem e descarte o podre da vida. Não deixe que uma falha ou uma desorganização de um terceiro destrua o seu plano de metas. Ninguém ficará no buraco por causa de um único deslize. Errar é normal. E é errando que se aprende. Pelo menos uma vez na vida devemos viver uma derrota, só para sentir o prazer de como que é bom obter uma vitória.
Só descobri a verdadeira doçura do meu sorriso quando senti o gosto salgado das minhas lágrimas.

sábado, 14 de junho de 2008

Até breve

Buscando um refúgio, fugindo dos outros e mais ainda, de mim...

"A vingança é o reconhecimento da ofensa." (Sêneca)

Já dizia Clarice Lispector: "a felicidade é clandestina"...
Como se o meu sofrimento fosse extremamente necessário para fazer o outro feliz. Será mesmo que alguém é capaz de sorrir por ver um outro chorar? Ou por simplesmente ver que em alguma coisa ele é melhor que alguém? Não duvido nada. E acrescento: foi dai que surgiu o desejo de vingança! Se vingar faz bem, alivia, sentimos como se estivessemos fazendo justiça com nossas próprias mãos: quem um dia riu de nós, agora paga! E não importa como você vai inverter essa situação, usando metodos justos ou injustos: "os fins justificam os meios". É, realmente a felicidade muda de mão assim como o vento muda a direção. Poderiam pensar que tudo isso é uma bobagem, ou até mesmo acreditar que vingança é ruim, não traz benefícios, e que você nunca será capaz de se vingar nem do seu pior inimigo... Que graça. Juro que não acredito que você nunca pensou eu um "bem feito", "ele se ferro", "castigo vem a cavalo" (...), estou certa?! O estranho prazer da vingança existe e deve ser apreciado como um carpaccio: prato que se come frio, lentamente e admiravelmente, afinal, custa caro. Tudo tem seu preço e se vingar de maneira saudável (se é que é possível) faz bem, porém aprecie bem, e não se esqueça que assim que acabar a sua vingaça, uma outra virá sobre você. Se vingar é humano e natural, fomos criados dessa maneira, desde criança assistindo ao Cebolinha sentir-se feliz por roubar o Saosão da Mônica, e esta mais ainda ao bater no Cebolinha! Uma briga interminável e pronto! Jamais mudará.
"A vingança é uma espécie de justiça selvagem." (Francis Bacon)

terça-feira, 10 de junho de 2008

Ausência de amar

Enquanto muitos preparam os presentes para darem a seus amados; eu busco forças para ver além da crueldade que domina o mundo atual. Pergunto-me todos os dias se as pessoas esqueceram o que é realmente o amor, e mais, o que é necessário para que ele exista. Parece que quase todos os seres humanos criaram um mundo tão egocêntrico que deixaram de lado até mesmo a compaixão. Ninguém é capaz de sobreviver sem um abraço, quem dirá sem uma conversa amiga. Por que as pessoas ignoram uns aos outros?, por que veêm maldades?, por que não têm mais um coração generoso? São tantos por ques sem respostas... É muita correria, muito capitalismo, muito ambição, muito problema e não há canto que caiba a essência de viver, como se o "amar aos outros como a si mesmo" simplesmente nunca tivesse existido, ou não, as vezes isso é até cumprido se levarmos em conta que ninguém se ama mais. Será que é mesmo impossível deixar de pensar em si pelo menos um pouquinho para olhar a vonta e ver que está tudo errado. Ninguém mais cultiva amor! A essa altura vocês devem estar se perguntando: e os casais... não precisam nem completar, a resposta é paixão. Talvez amanhã, quando alguém se tocar que viver não consiste apenas em ter uma casa bonito, uma aparência agradável ou um trabalho estável... o mundo inteiro já estará cego de amar.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Proibido estacionar


Estava pensado na força que tem o tempo...
Como é possível acordarmos todas as manhãs - quase sempre no mesmo horário - vermos as mesmas pessoas e jamais vivermos as mesmas cenas? Cenas que às vezes entristecem e outras tantas alegram, momentos raros e praticamente únicos, que passam tão abatidos, por cima, sem dar o mínimo valor nos detalhes, como se fossem inúteis e insignificantes. Mas qual é mesmo o sentido de tudo isso? Parece que a humanidade já se esqueceu que o tempo é uma via de mão única, aonde é proibido estacionar e não existe retorno. Amanhã, alguém se dará conta de que deveria ter prestado um pouco mais de atenção em um simples sorriso ou no pôr-do-sol, não importa a grandeza do fato, qualquer um, seja o mais singelo ou o mais exuberante, pode nunca mais estar presente.
Você se lembra de quem foi o primeiro sorriso que recebeu hoje?
E que cor estava o céu quando o sol se pôs?
...

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Impulsos


"A vida é um irrefutável ensaio de uma peça que nunca se realizará"


Memórias, sentimentos, conflitos, conselhos, desabafos... Para mim, escrever é mais uma necessidade do que um dom.

E aqui começa mais um rascunho da minha doce vida

(...)
[Um brinde]