quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Uma certeza

Agora tudo voltou ao normal. Diante de um desagradável jogo da seleção brasileira, muitas mesas lotadas de amigos, outros nem tanto assim. E bem próximos estavamos nós, como dois desconhecidos que evitavam se encararar, dois estranhos completamente perdidos sem saber como agir. Trocamos algumas pouquíssimas palavras que queriam dizer o fim e depois nos abraçamos jurando que estava tudo bem. Realmente estava, além de que tudo voltou ao lugar certo, eu na mesa com meus amigos, rindo de coisas bobas e planejando o futuro, ele já procurando a próxima vítima. Das outras vezes montavamos o nosso quebra-cabeça todo torto e mal arrumado e então nunca sabiamos ao certo se teria um fim concreto, desistiamos. Dessa vez foi um quebra-cabeça montado todo certinho, que na verdade era pra dar certo se não fosse as peças que nunca farão parte do nosso jogo e com certeza, agora sabemos que por mais que possamos tentar várias vezes, a história não passará de alguns erros e falhas. Por isso, agora tudo caminha para o seu canto, sendo o mesmo desprezível de sempre; que fora amor, eu só tenho horror. E definitivamente, não haverá mais amor. Convenhamos que seja melhor assim. Afinal vivemos em dois mundos completamente opostos.

Um comentário:

Gabriel Mantelli disse...

o opostos não se atraem?