quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

O último adeus

Saudade tornou-se uma palavra tão comum que poucos sabem realmente o seu verdadeiro significado. As pessoas falam tão 'da boca para fora', falam para alguém que está a uma semana sem ver, falam e não pensam, falam e não sentem...
Se saudade é só isso, o que eu sinto no momento que descubro que nunca mais verei uma pessoa querida, nunca mais poderei tocar em suas mãos ou ouvir as suas palavras?
Um sentimento inexplicável de angústica, solidão, falta. Uma despedida de mão única. Eu -impaciente - falava tchau e ele permanecia com os olhos fechados; confesso que ele parecia bem como se tivesse sido polpado de um mundo de turbulências... Ainda assim eu chorava, sem conseguir conter minhas emoções, sem entender o que será dele agora. Existe céu?
Ninguém jamais voltou para me contar o que acontece depois que o caixão se fecha, quem me garante que tem um 'depois'?
Entretanto a fé me conforta, de uma maneira ou outra, acreditar ameniza as minhas mágoas. Mesmo sem conhecer os mistérios, eu finjo que acredito só para ficar tudo bem.
Até agora funcinona, não sei até quando!

2 comentários:

Charlos Pig disse...

Pra quem vive nas nuvens o céu é o limite? Saudade.

G. Mantelli disse...

Continue acreditando.