sábado, 14 de fevereiro de 2009

Sem ouvidos

Foi mais uma festa top como em todos os anos anteriores... Só que essa tinha algo mais: um amor sem preconceito que deixava a vontade com um gostinho de quero mais!
Por um instante eu parei tudo o que estava fazendo e comecei observar 'um dos três' e então a magia especial foi envolvendo a alma de tal forma que todos os momentos vividos voltaram em forma de filme, rápido, marcante... Foi quando eu me dei conta de que aquela não era apenas mais uma festa comemorativa, era também uma despedida. Isso já tinha ocorrido uma vez, um ensaio talvez, o qual eu sabia que após as férias voltaria. Infelizmente não era outro ensaio.
Estava pronta para entrar naquele estágio depressivo com a sensação de mais um partindo, sem certezas! Porém, como só ele sabe ser, foi diferente. Melhor, um abraço forte e no lugar das palavras comoventes de um singelo adeus, estavam palavras esperançosas de um é óbvio que nós iremos nos encontrar.

2 comentários:

G. Mantelli disse...

É óbvio, sempre é.

Charlos Pig disse...

Se vocês querem chamar de despedida. Eu preferi chamá-los para uma FESTA!