quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Flora e Donatela

Parece tonteira infantil falar de novelas. Mesmo assim, eu insisto em falar. Talvez a revelação da grande e misteriosa assassina tenha sido mesmo um assassinato aos telespectadores. Milhares de pessoas infelizes, frustradas e decepcionadas com o rumo que a estória do horário nobre tomou. Apesar de estar óbvio (essa era as reclamações), foi surpreendente, afinal, de tão na cara que estava esse crime, ninguém acreditava que seria realmente isso. Por que o ser humano nunca acredita no mais evidênte? E minhas críticas não acabam aqui. Sabe o por que muitas pessoas perderam o encanto pela novelinha? Simples, porque estão tristes devido ao fato de sua idolatrada mocinha ser a vilã das cenas. Cínica, falsa, desgraçada! As aparências enganam. Quero ver só como as provas poderão se converter para a verdadeira inocênte. Dezoito anos na prisão, um planejamento para a vida inteira. Não... e os envolvidos nesse rolo todo? Que decepção.
Caros leitores, cuidado que a própria vida prega peças injustas.

Um comentário:

G. Mantelli disse...

Pois é, até eu que não via a novela, fiquei de queixo caído. Foi bacana porque mudou aquele esquema típico de novela. Mesmo assim, não gosto de novelas e horário nobre.